Redefinir Senha

Busca Avançada
Your search results
28 de agosto de 2017

Cinema negro no Rio

Nossos rostos, nossas narrativas, nosso cinema. A partir desta quarta-feira, o Rio de Janeiro reúne cerca de 90 filmes nacionais e internacionais na 10ª edição do Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul – Brasil, África e Caribe. Para marcar a trajetória de resistência e visibilidade  no cinema, o festival homenageará seu criador e diversas personalidades culturais que ajudaram a demarcar este espaço para valorização da identidade negra. Na programação, o destaque é o protagonismo feminino e da juventude, trazendo o olhar de inquietação e transgressão para a tela do cinema.

O encontro acontece no Cinema Odeon e Centro Cultural Justiça Federal (Cinelândia) e Museu de Arte do Rio (Praça Mauá), com 88 filmes, sendo 66 nacionais e 22 internacionais, além de debates  e encontros de formação e negócios para os realizadores. A curadoria é feita pelo cineasta Joel Zito Araújo, que destaca a preocupação de selecionar um “painel do cinema feito pela África Negra”. Nesta edição, serão exibidas produções de África do Sul, Nigéria, Guadalupe, Senegal, Burkina Faso, Etiópia, Camarões, Gana e Ruanda.

Além de Zito, Janaína Oliveira também assina a curadoria, ampliando o destaque dado à produção feminina na mostra. Um destaque da programação é a estreia dos curtas Fé Menina (do coletivo Mulheres de Pedra), às 19h desta quarta-feira, dia 30, no Odeon. Outro ponto alto é o lançamento do documentário Tia Ciata (de Mariana Campos e Raquel Beatriz), no dia 31, também no Odeon.

Outras dicas são imperdíveis: o filme Kbela (de Yasmin Thayná) também retorna às telas do Rio, no dia 1 às 15h, após circular em festivais internacionais. Também é destaque o filme ‘Nada’, de Gabriel Martins, no dia 6, às 17h. O filme foi selecionado para o festival de Cannes. Além das novidades, há espaço para filmes e homenagens a personalidades da cultura negra nacional, como Lélia Gonzalez, Zé Luiz do Império, Tia Ciata, Bispo do Rosário e Abdias do Nascimento.

Fora das telas, o Seminário Mergulho nas Águas do Cinema Negro trará debates, ações de formação e rodadas de negócio para apresentação de novos projetos audiovisual a canais exibidores. Entre os debates, as presenças mais aguardadas são de Ana Maria Gonçalves, autora do livro  ‘Um Defeito de Cor’,  que falará  sobre a relação entre literatura e cinema, na quinta-feira, dia 31, às 10h, no Centro Cultural da Justiça Federal (Cinelândia). Já a ativista Sueli Carneiro participa de debate sobre um novo pacto racial, no sábado às 10h.

Confira a programação completa!

#VivaDiaspora