Trocar a senha

Busca Avançada
Resultados da sua pesquisa

Salvador ferve!

Publicado em 09/01/2018 por Antonio

Iniciamos nesta semana a série #DestinosDeVerão, com dicas e ofertas quentes para você curtir a melhor época do ano, nos lugares mais incríveis e sem pesar no bolso!

Começamos  com dicas de Salvador, esta terra em estado pleno de fervura de janeiro a janeiro! Esta quinta-feira, dia 11, especialmente é um dia importante para a cidade: uma das mais tradicionais festas populares! Acontece toda segunda quinta-feira do ano, há mais de 250 anos! É a imperdível Lavagem do Bonfim! Quem ainda não conhece, já tem um argumento sério para reservar sua viagem do próximo ano.

É o maior cortejo da cidade, com mais de 8km de caminhada entre duas igrejas, mas a procissão há muito deixou de lado o caráter católico para ser uma grande celebração supra-religiosa – e principalmente, profana. Por todo o percurso, há desde protestos políticos a diferentes matrizes religiosas, mas com muita música: ijexá, reggae, samba. Há muitas comidas, muitas fanfarras e blocos afros desfilando ao longo do percurso e, também, muitas orações para agradecer e pedir graças para um novo ciclo. Uma reunião de rara beleza de toda a riqueza cultural desta terra abençoada por todos os santos!

Para quem não pôde comparecer nesta edição da festa, não se preocupe: Dia 2 de Fevereiro tem outra também memorável e internacionalmente conhecida pelas representações na literatura, música, pintura e cinema – a Festa de Yemanjá, no Rio Vermelho. Sem cortejo, a festa se desenrola por dois dias com muitas oferendas e rituais religiosos à beira mar e também no Dique do Tororó, onde as casas de matriz africana mais tradicionais realizam cerimônias.

Se ainda faltam motivos para você conhecer ou revisitar Salvador, seguem mais algumas dicas frescas do que fazer e por onde se perder nas ruas e ladeiras da cidade para conhecer sua alma verdadeira, além dos cartões postais de primeira viagem! Viva a imersão na cultura afrobrasileira!

Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, no Pelourinho.

Todas as terças-feiras, uma celebração imperdível: pois une referências da cultura e religião afrobrasileiras na tradição católica. Às 18h.  Vale a visita também à Sociedade Protetora dos Desvalidos foi fundada em 1832, constituída inicialmente como uma irmandade religiosa de homens negros. Contato: (71) 3322-6913/ spdesvalidos@yahoo.com.br

Se você é daqueles que gostam de compras, não deixe de conferir a Loja Katuka Africanidades, na Praça da Sé. Logo no começo do Pelourinho, a loja tem livros, discos, roupas e acessórios com design exclusivo, além de programação de saraus e eventos culturais cheios de identidade!

Museus Gratuitos!

Sempre às quartas-feira! Depois de curtir a badalada praia do Porto da Barra, conheça o Espaço da Fotografia Pierre Verger  e também o Espaço Carybé, que ficam localizados nos dois fortes que margeiam a praia,  no Porto da Barra. São espaços interativos e à noite, há projeções nas fachadas com as obras dos artistas.

Para quem gosta de museu, também às quartas a Casa de Jorge Amado, no Rio Vermelho é gratuita. No Rio Vermelho, é a residência particular do casal Jorge Amado e Zélia Gattai, com objetos, cartas, e uma cenografia real incrível do universo  mítico em que viveu o  escritor.

Outro memorial imperdível é o de Mãe Menininha do Gantois, na Federação. Confirmar antes os horários de visitação: (71) 3331-9231

Na Bahia, como os Baianos!

Se estiver na cidade numa sexta-feira, não pague vexame: é dia de vestir branco e comer comida baiana! O traje é uma tradição ligada ao culto do orixá Oxalá, que usa a cor branca em suas vestes. Aproveite para dar uma volta no Dique que margeia a Arena Fonte Nova, onde estão as lindas estátuas dos orixás. O local é tradicional área de lazer dos bairros próximos e também de cultos tradicionais de matriz africana, em terreiros históricos situados nos arredores.

A maior parte dos restaurantes servem as iguarias locais, mas uma boa opção de refeição é o restaurante  Ajeum da diaspora, no Tororó.  Se a comida é sua preferência, anote mais essa dica: Passeio pelos bairros da Mouraria, Saúde: no entorno da estação Campo da Pólvora, do Metrô. São bairros históricos onde é possível comer a típica Lambreta, um fruto do mar característico dos restaurantes baianos!

Samba e iguarias!

A tradicional Feira de São Joaquim, próximo ao terminal FerryBoat, é um mundo a ser desbravado, com diversas lojas de artigos de religiões de matriz africana, iguarias e temperos próprios da culinária baiana, frustas frescas da estação e também muita diversão. Aos domingos, às 9h, tem samba!

Ilha de Maré

Se a pedida é desbravar paisagens lindas e pouco frequentadas, a dica é a ilha localizada no meio da Baía de Todos os Santos. Diferente da Ilha de Itaparica, já imortalizada por João Ubaldo Ribeiro, a pequena ilha ainda é parte do município de Salvador e só agora começa a ter mais visitação turística. Ali, conta a história, está situada uma comunidade descendente quilombola, pois a região era a rota para onde fugiam os africanos escravizados na cidade no período colonial. Barcos saem do Terminal Náutico, no Mercado Modelo, ou no final de linha de Paripe (Subúrbio Ferroviário).

E para fechar a dica dos passeios diferentes, dê uma volta pelo Subúrbio Ferroviário. O passeio de trem tem partida na Calçada, e os preços são de transporte público comum – mas a vista, a paisagem e os tipos urbanos vistos por ali são únicos!  Na Calçada, fica a estação final dos trens do subúrbio que revelam uma face menos conhecida e mais bela da Baía de Todos os Santos.

Aproveite!

#VivaDiaspora