Redefinir Senha

Busca Avançada
Your search results
16 de janeiro de 2018

Sol e Carnaval em Recife

Quem já está esquentando os tambores para o Carnaval, não pode perder a programação de Recife e Olinda – o  novo destino de nossa rede!

Para marcar o clima de Carnaval, nada melhor do que começar com a tradicional Noite dos Tambores Silenciosos, em Olinda. Mais do que uma manifestação cultural é uma celebração da fé e da memória ancestral das populações negras em Pernambuco. Na noite da segunda-feira que antecede o carnaval, à meia noite, os tambores de diversos grupos de maracatus se silenciam em louvor à matriz africana.

Em Recife, encontro semelhante ocorre na segunda-feira de carnaval, na Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, localizada no Recife Antigo. Ali, ocorre o desfile da Corte de cada agremiação, que são representações da Rainha e do Rei de cada Nação – como são chamados os grupos tradicionais de Maracatu, muitas vezes associados às casas de matrizes africanas. Também desfila a Dama do Paço e o Porta Estandarte, que carregam os símbolos da agremiação.

A tristeza do Carnaval da cidade, neste ano, será a ausência dos Maracatus na abertura oficial da festa, no Marco Zero. A homenagem era organizada pelo percussionista Naná Vasconcellos, que faleceu em 2016. Por 15 anos, o músico reunia os mestres percussionistas dos diferentes grupos de Maracatus para abrir oficialmente o carnaval, na sexta-feira. Será a primeira vez em mais de 15 anos que a festa não será feita pelo tradicional ritmo afro-brasileiro.

Apesar do vazio na programação, a tristeza não dura no Carnaval em Pernambuco. As ladeiras de Olinda, com sua ampla programação de blocos por todas as direções, todos os dias, não dão brecha para qualquer sentimento negativo! Além dos blocos, shows e festas acontecem em diferentes palcos de Olinda e Recife.

Mudando de tópico, se a sua vontade é curtir a beleza litorânea de Recife, a boa pedida é a Praia de Carneiros. A região tem o charme rústico à beira da praia, com acesso por estrada de terra ou caminhada a partir do município de Tamandaré, a 96 quilômetros de Recife. O ponto alto, além das águas claras do mar e o rio próximo, é a bela igreja de São Benedito, à beira da praia.  Entre as opções do local, além dos bares e restaurantes de frutos do mar, dá para curtir lanchas, caiaques e jangadas, em passeios para todos os tipos de aventureiros.  Ah! E também tem passeios para mergulhar entre recifes!

No quesito praia, Porto de Galinhas dispensa apresentações. O balneário de praias fica a cerca de 50km da capital, e é imperdível mesmo que apenas para um bate-volta! As águas cristalinas, os arrecifes e as jangadas ao longo da costa compõe o cenário de uma das mais badaladas praias da região – o ano todo. A vila principal já não tem o mesmo apelo rústico de outrora, mas o ‘progresso’ trouxe novos restaurantes e serviços na região. Caminhando pelas areias é possível encontrar praias e barracas mais vazias e distantes do Centro.
De volta às tradições afro-brasileiras, o passeio pelo Recife Antigo é sempre uma oportunidade para conhecer marcos da nossa memória, como  os monumentos do Maracatu e de Zumbi dos Palmares.  Há também as manifestações vivas da nossa cultura na cidade. Os repentistas são um grande exemplo da nossa tradição oral! Ali perto, está o Museu Cais do Sertão que reúne amplo acervo sobre a história do sertanejo mais famoso do Brasil: Luiz Gonzaga, nascido em Exu, no interior do estado. Sua trajetória de vida e os desafios da vida na seca são retratados em belas composições do espaço.
Outras dicas para quem gosta de exposições é o  Museu de Artes Afro-Brasil Rolando Toro,  com 70 peças no acervo, entre quadros e grafites. Muitas das obras são esculturas oriundas de vários lugares da África.  Outra dica é o Museu da Abolição – que reúne acervo ligado ao período colonial. O espaço é focado no trabalho dos abolicionistas icônicos do estado, como Joaquim Nabuco, e reúne grande material ligado à escravidão e à resistência negra no período.