Categoria: aprendizado

Resistência e Carnaval

resistência

Resistência

Resistência

Por Helena Theodoro

Enfim tivemos carnaval, mesmo fora de época. As escolas de samba ficaram se preparando por dois anos para esta apresentação, cheias de dúvidas sobre a efetivação do evento, mas sem parar de produzir em suas quadras e barracões, fazendo poesia, cantando, ensaiando e construindo seu mundo de ilusões.

Com um presente sombrio, os sambistas foram se abrigar em sua ancestralidade, que tanto sofreu, que viajou pelo Atlântico, conseguindo sobreviver subindo becos e vielas, formando quilombos, além de meios e modos de manter suas vidas e histórias. Assim sendo, nada mais natural do que aprender com a lição de ontem, aperfeiçoando num hoje, forjando um belo amanhã. As escolas de samba nos deram esse exemplo.

Foram buscar em suas histórias e crenças a força para mostrar seus valores e sua fé na vida. Essa fé se revelou em sua capacidade de se comunicar e de transformar o mundo com caminhos e olhares novos que permitem crescimento e bom viver. Usando seus 

itans, histórias contadas pelos mais antigos, mostraram energias capazes de superar a dor e as dificuldades. Num processo de comunicação total, usou seus corpos em movimento, reproduzindo as energias  vitais, trazendo seus orixás, inquices e vodus que representam o ar, a água, a terra e o fogo, com o resultado do movimento (EXU) que nos dá as folhas, as árvores, os animais em diferentes espaços e formas.

Fonte: Congresso em Foco

O Salgueiro cantou a resistência do povo preto e as histórias do griot Djalma Sabiá. Foto: Mariana Maiara.


Siga nas redes sociais




Autor(a):
Postado em:

02/07/2022

Fale com a gente
Siga-nos
Segurança para você
Todos os dieitos reservados 2021 | Diaspora Experiência e Turismo LTDA      Política de Privacidade  |  Termos e Condições